Respeitem Lula!

"A classe pobre é pobre. A classe média é média. A classe alta é mídia". Murílio Leal Antes que algum apressado diga que o título deste texto é plágio do artigo escrito por Ricardo Noblat (...)

A farsa do "Choque de Gestão" de Aécio "Never"

“Veja” abaixo a farsa que foi o famoso “Choque de Gestão” na administração do ex-governador Aécio “Never" (...)

A MAIS TRADICIONAL E IMPORTANTE FACULDADE DE DIREITO DO BRASIL HOMENAGEIA O MINISTRO LEWANDWSKI

"O Ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski recebeu um “voto de solidariedade” da Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo) pela “dedicação, independência e imparcialidade” em sua atuação na corte. (...)

NOVA CLASSE "C"

Tendo em vista a importância do tema, reproduzimos post do sitio "Conversa Afiada" que reproduz trecho da entrevista que Renato Meirelles deu a Kennedy Alencar na RedeTV, que trata da impressionante expansão da classe média brasileira. (...)

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O AMIGO LEITOR TEM RESPOSTAS PARA ESTAS PERGUNTAS?



É incontestável a importância das atuais investigações sobre a corrupção no Brasil e a independência, autonomia e liberdade com que o Poder Judiciário, o MPF, PF, TCU, o Poder Legislativo e a imprensa estão agindo. Mas por outro lado é igualmente indiscutível, que tais instituições vêm atuando de forma parcial e seletiva frente a alguns casos de corrupção, como por exemplo, àqueles apurados na Operação Lava-jato.

Neste contexto é sabido que a 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba onde tramita o Processo da Operação Lava-jato transformou-se no “QG” da oposição e da mídia, e o Juiz titular da Vara, Dr. Moro foi eleito o grande e impiedoso general que comanda a tropa imbuída em colocar um fim na corrupção que assola a política brasileira.

Não à toa, que esse misto de júbilo e indignação com a condução dessa Operação está despertando calorosas discussões e inúmeras perguntas estão sendo levantadas como, por exemplo, as seguintes: se é verdade que esse bombardeio da mídia contra os governos trabalhistas é motivado pela corrupção, por que então, desde a eleição de Collor a imprensa, especialmente, a Rede Globo iniciou uma implacável perseguição ao ex-presidente Lula e sua família?

É público que o Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha já foi denunciado pelo Procurador-Geral em cinco inquéritos já aceitos pelo STF. Diante disso pergunta-se: valendo-se do novo princípio defendido pela oposição, pela imprensa e pelo Dr. Moro de que “todos são culpados até que se prove o contrário”, por que então o PSDB e seus aliados não assinaram o pedido de afastamento de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara?

Por que a mídia, depois de sacramentada as denúncias contra Eduardo Cunha vem agora com a lorota de que está havendo um acordo entre o governo e ele, sabendo-se que não há razão plausível para isso? Qual o objetivo da mídia com esse nonsense?

Por que o PSDB e aliados que empunham a bandeira da moralidade ainda lutam pelo financiamento privado das campanhas eleitorais, sabendo-se que esse financiamento é o princípio da corrupção nas administrações públicas?

Outra pergunta: por que o PSDB e a mídia não discutem com a mesma profundidade a Operação Zelote que está apurando gigantescas fraudes tributárias que podem chegar a R$ 20 bilhões? E por que a mídia e a oposição pouparam o Ministro do TCU Augusto Nardes, envolvido na Operação Zelote? Seria porque o Ministro foi o Relator que rejeitou a Prestação de Contas do Governo Dilma em 2014? 

Por que os Ministros do TCU sabedores da complexidade técnica e dos desdobramentos políticos do julgamento da Prestação de Contas do Governo (2014), o fez em sessão que durou apenas nove minutos? Por que essa pressa? Por que a sessão foi transmita ao vivo pela TV, sendo que nunca ocorrera isso?

Por fim, algumas perguntas no campo jurídico: quem autorizou o vazamento das colaborações premiadas que são sigilosas (art. 7º da Lei 12.850/13), envolvendo políticos do governo? Por que as denúncias de Youssef contra Aécio Neves não vazaram antes das eleições? Por que o Juiz Moro diante dessa denuncia contra o Tucano, disse: “isso não vem ao caso”?

Por que a PF e alguns Procuradores, mesmo correndo risco de futura anulação das denuncias contra os envolvidos na Operação Lava-jato, implantaram, em tese, escutas ilegais na cela de Youssef e no fumódromo da Delegacia da PF em Curitiba?

Se as empresas que doaram dinheiro para a campanha de Dilma são as mesmas que doaram para a campanha de Aécio, inclusive, aquelas envolvidas na operação Lava-jato, por que então somente as Contas da Presidenta serão, novamente, investigadas?

Por que o PGR, mesmo diante de fortes indícios do envolvimento de Aécio Neves no plúmbeo caso conhecido como “Lista de Furnas” não abriu investigação contra os mesmos?

Por que o PGR, mesmo diante de um robusto conjunto probatório e preenchidos os requisitos legais não pediu a prisão preventiva de Eduardo Cunha? 

Alguém tem as respostas para essas perguntas?

terça-feira, 6 de outubro de 2015

NADA MAIS SUJO DO QUE A GRANDE IMPRENSA BRASILEIRA...!

Pela importância, reproduzimos abaixo matéria postada no sitio "Tijolaço" (http://tijolaco.com.br/blog/quem-e-o-santo-do-tcu-que-quer-apontar-pecados-em-dilma/)

Quem é o santo do TCU que quer apontar pecados em Dilma…
nardestotal

O Brasil é um país curioso, porque o passado é lembrado ou esquecido seletivamente.
Por exemplo: quando Severino Cavalcanti elegeu Augusto Nardes – deputado pela Arena e suas sucessivas reencarnações – para uma vaga destinada à Câmara no Tribunal de Contas, o então presidente do órgão,  Adylson Motta escreveu ao presidente Lula pedindo que não sancionasse a nomeação devido “à inobservância do requisito constitucional da reputação ilibada e idoneidade moral”.
Nardes era processado – respondia ao Inquérito 1827-9 – crime eleitoral, peculato e concussão, doação de campanha eleitoral, segundo a publicação “No banco dos réus”, do site Congresso em Foco – pelos quais alguma alma caridosa le fez um “desconto” para pagar mil reais e fazer palestras em escolas públicas, o que, segundo a “prestigiosa” revista Veja, que publico acima, foi uma “malandragem”.
Lula o nomeou, porque a vaga pertencia à Câmara e a Câmara o escolheu.
Curioso é que, nove anos depois, Nardes pegou emprestado os argumentos que usaram contra ele e, já na Presidência do TCU, ameaçou vetar a posse do senador Gim Argelo por falta de “reputação ilibada e idoneidade moral”. De novo, minha fonte é a revista Veja, onde, aliás, o moralíssimo Ricardo Setti o saudou entusiasticamente dizendo que, ainda bem, existem homens como Nardes, “com vergonha na cara”.
Agora, Nardes – redimido pela mídia – assume uma postura agressiva  como jamais se viu no TCU, sob completa cumplicidade dos veículos de comunicação, sem que um único deles aponte e recorde quem é este senhor.
A Folha chega a dizer que os “Ministros temem desmoralização do TCU ao julgar contas de Dilma“. Ora, quem teme desmoralização tem um presidente da corte que foi acusado de crime eleitoral, peculato e concussão, doação de campanha eleitoral e se acertou com uma multa e algumas palestras como pena alternativa?
O Brasil virou o país onde o cinismo é virtude, a hipocrisia é a verdade e a imprensa transforma em vestais as figuras mais sombrias, desde que isso ajude a derrubar o governo que –  absurdo! – foi eleito pelo voto popular.
Se para isso precisam esquecer – como disse FHC – que escreveram, pouco se lhes dá.
Afinal, nessa história de ausência de reputação ilibada e idoneidade moral a mídia brasileira não é melhor que os personagens